Arquivo
Tags

NOVO CICLO PARA OS RELATÓRIOS DE SUSTENTABILIDADE: DAS DIRETRIZES G4 ÀS NORMAS GRI

“O futuro dos relatórios está aqui”– é assim que a GRI anuncia sua nova norma.

Para antecipar de uma só vez: o que, na primeira impressão, aparenta ser uma grande mudança, na verdade é basicamente uma reestruturação da G4 para uma nova arquitetura de Normas com o objetivo de deixar o conteúdo mais claro e lógico, em uma estrutura mais flexível e de fácil adaptação ao longo do tempo. Além disso, alguns termos foram esclarecidos e conteúdos foram mesclados ou realocados.

As Normas GRI foram lançadas em 19/outubro/2016 apenas no idioma inglês, por isso alguns termos que vamos apresentar a seguir estarão em inglês ou com tradução livre da BSD. Esses termos poderão ser modificados pela GRI futuramente, no processo oficia de traduções, previsto para 2017.

Veja um resumo elaborado pela BSD sobre as mudanças para a organizações relatoras

Destaques de mudanças:

  • Mais clareza sobre o que é mandatório e opcional para o relato: distinção clara sobre requerimentos (shall), recomendações (should) e orientações (guidance)

  • Esclarecimentos adicionais para conceitos da G4 como Impactos, limite dos tópicos e definição mais específica para os termos “empregado e trabalhador” (employee / worker)

  • Ao invés de um único documento, as Normas estão divididas em 36 documentos (Normas individuais):

  • 3 Normas Universais (Fundamentos, Conteúdo Geral e Abordagem de Gestão) que são os princípios e os itens de conteúdo geral e de formas de gestão da G4, atualizados.

  • 33 Normas de tópicos específicos para relato, divididas nas séries de tópicos econômicos (200), ambientais (300) e sociais (400). Os tópicos são os antigos aspectos da G4, que foram revisados (unificados ou excluídos) para atender novas demandas de relato. Por exemplo, o aspecto “Mecanismos de Queixa” deixou de existir e suas informações passaram a fazer parte do DMA (Formas de Gestão). É importante ressaltar que nenhum “tópico” (antigos aspectos) ou “disclosure” (antigos indicadores) foram adicionados.

  • Como vocês já notaram, os indicadores não se chamam mais indicadores, passam a ser chamados de “disclosures”, termo ainda sem tradução oficial para o Português, mas podemos dizer , a partir de uma tradução livre, “itens de divulgação” pois abordam tanto informações quantitativas quanto qualitativas.

  • Agora a GRI pede que as organizações a notifiquem sobre o uso das Normas, enviando uma cópia do relatório ou registrando o relatório no site, assim a GRI terá melhor entendimento sobre quem usa e como são usadas as Normas e poderá buscar melhorias sempre mais alinhada às necessidades dos relatores.